sexta-feira, 26 de junho de 2015

Ezequiel Ferreira propõe a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa da Adoção da Criança e do Adolescente

ezequiel_frente
O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira, defende a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa da Adoção da Criança e do Adolescente. Proposta foi apresentada durante a audiência pública sobre a adoção. O tema foi discutido em audiência pública, realizada nesta quinta-feira (25), no auditório da Casa.

“A Frente vai atuar em ações que incluiu até o lançamento de uma cartilha educativa com o passo a passo sobre adoção para ajudar a diminuir as angústias dos futuros pais adotivos, mostrando o caminho a seguir para concretizar o processo de guarda e tutela definitiva. Vamos promover ações junto com o Judiciário e as secretarias de Assistência Social”, disse Ezequiel.

De acordo com o Cadastro Nacional de Adoção, do Conselho Nacional de Justiça, cerca de 5 mil crianças estão na fila de adoção no Brasil. A maioria delas foi abandonada ou perdeu a família, e há aquelas que foram afastadas do seio familiar por questões judiciais.

Do outro lado estão as famílias, que estão prontas para amar, oferecer um lar para essas crianças que precisam de amor, de apoio e de carinho. Hoje no Brasil, 30 mil famílias estão nessa lista. É importante lembrar ainda que o Brasil tem cerca de 40 mil crianças e adolescentes vivendo em abrigos.

Durante seu discurso, o presidente destacou também os entraves para a adoção. Um dos entraves é o preconceito com as crianças mais velhas. “Apenas um em cada quatro pretendentes admite adotar crianças com quatro anos ou mais. Já após os 10 anos, o número de interessados se reduz a quase zero. É por isso que, cada dia que passam nos abrigos afasta as crianças ainda mais da chance de encontrar um novo lar”, destaca Ezequiel.

Uma das ações da campanha será levar a partir de agora a todas as Assembleias Cidadãs do Rio Grande do Norte, atendimentos gratuitos e esclarecimentos as famílias que querem adotar e que precisam colocar suas crianças na fila de adoção. Um trabalho social que terá grandes e bons resultados nos próximos anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário