domingo, 16 de abril de 2017

Deputados que fizeram duros discursos no impeachment aparecem nas delações da Odebrecht

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE) cerrou o punho e deu socos para o alto no ritmo do coro “eu sou brasileiro/com muito orgulho/com muito amor”, fazendo vibrar o grupo de deputados federais em seu entorno na sessão que votava a admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff. Era abril de 2016 e a Lava-Jato avançava sobre a cúpula do governo e do PT, levando o discurso anticorrupção para as ruas e ao plenário da Câmara:

— Quanta honra o destino me reservou de poder, da minha voz, sair o grito de esperança de milhões de brasileiros. (…) Carrego comigo nossas histórias de luta pela liberdade e pela democracia. Por isso eu digo ao Brasil: sim para o futuro! — gritou Araújo, erguido pelos colegas como um troféu, sacramentando o avanço do processo contra Dilma.
‘BASTA NA ROUBALHEIRA’

Araújo virou ministro das Cidades no novo governo e, nesta semana, descobriu-se que nas planilhas de registro dos pagamentos ilegais da Odebrecht tinha outra identidade: “Jujuba”, beneficiário de contribuições não declaradas à Justiça Eleitoral, no total de R$ 600 mil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário