quarta-feira, 12 de julho de 2017

Condenação gera onda de solidariedade a ex-presidente Lula


Parlamentares e personalidades do PT demonstraram solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (12). O juiz Sérgio Moro condenou Lula em primeira instância e a decisão foi divulgada no início desta quarta.

Os deputados e senadores lembraram da parcialidade do juiz e da perseguição política que marcaram o processo contra o ex-presidente. Muitos pontuaram que a perseguição a  Lula é na verdade uma perseguição é uma estratégia para impedir a candidatura do ex-presidente em 2018.

“Estamos do seu lado Lula, nossa solidariedade à você. Você tem no Partido dos Trabalhadores gente que nunca vai te deixar. Temos muito orgulho de você”, afirmou a presidenta nacional do PT e senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), em fala no plenário do Senado.

“Em um estado democrático de direito, esse processo sequer teria sido concluído, porque inexistem provas que possam incriminar o ex-presidente Lula. Quem fez prova de inocência sem estar obrigada a fazê-lo foi a defesa”, afirmou o deputado e jurista Wadih Damous (PT-RJ). “Ele utiliza esse processo como arma de perseguição”, finalizou.

“Uma decisão política, baseada em supostas convicções e sem provas. Nossa indignação e repúdio à decisão do juiz de primeira instância Sérgio Moro”, afirmou no Facebook a deputada Luizianne Lins (PT-CE).

“Condenação do presidente Lula é política e visa impedir sua candidatura em 2018. É hora de ocuparmos às ruas em defesa de Lula”, disse o lider do PT na Câmara Carlos Zarattini (PT-SP).

O líder do PT no Senado Lindbergh Farias (PT-RJ) lembrou que eleição sem Lula é uma farsa e que o povo deve ir para a rua defender o ex-presidente. “Temos que fazer uma denúncia internacional de uma fraude como essa”, disse. “Eu quero trazer minha indignação. Se eles acham que vamos aceitar mansos, estão enganados. Estão apostando na radicalização política desse país”.

Centrais e movimentos sociais já convocaram atos em apoio ao ex-presidente por todo o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário