quarta-feira, 24 de maio de 2017

Confusão entre senadores suspende sessão que votaria relatório da reforma trabalhista

A  reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado desta terça-feira (23), destinada à leitura do relatório da reforma trabalhista, começou tumultuada. Parlamentares da oposição tentaram barrar a leitura do relatório, enquanto o presidente do colegiado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), defendeu que os trabalhos do Legislativo devem continuar apesar da crise política que atingiu o governo Michel Temer.

Desde que foram divulgadas as delações dos donos do grupo JBS – que atingem diretamente o presidente Michel Temer – parlamentares da oposição têm dito que vão obstruir todas as votações na Casa para que a crise seja debatida.

Apesar disso, o governo tenta articular para manter o ritmo de tramitação no Congresso das reformas trabalhista e previdenciária.

O tumulto  começou quando os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ) protestaram contra a leitura do relatório final do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a reforma trabalhista. A proposta, de autoria do governo Temer, já foi aprovada pela Câmara.

 Ranfolfe Rodrigues (Rede-AP) e o senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO) quase chegaram a um confronto físico e foram separados pelos seguranças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário