domingo, 27 de setembro de 2015

Hulk novamente é vítima de racismo na Rússia

Hulk

Hulk, 29 anos, foi visto jogando beijos para os torcedores do Spartak Moskou após ser substituido já nos acréscimos da partida. Pouco depois, explicou o porque do gesto.

“Infelizmente, as mesmas coisas estão acontecendo – o racismo nas arquibancadas”, explicou Hulk ao site oficial do Zenit.

“Eu não vou me abalar com estes casos, já falamos sobre isto”.

“Por isso, vou continuar a jogar beijos e respondê-las com a maneira que eu jogo. Essas coisas nem sequer merecem ser discutidas.”

Hulk marcou um dos gols da partida (um golaço de falta) que terminou empatada e distanciou o Zenit ainda mais da corrida pelo título.

Não é a primeira vez este ano que Hulk foi vítima de racismo no país que irá sediar a Copa do Mundo de 2018.

Em março, durante uma partida em Moscou ele foi vítima dos torcedores da casa. O clube foi punido com duas partidas  de portas fechadas, enquanto Hulk tirado do sorteio da Copa do Mundo de qualificação para 2018 por criticar o racismo no país.
Também não é a primeira vez que os torcedores do Spartak foram acusados .
No jogo de abertura da temporada, Emmanuel Frimpong acusou os torcedores do Spartak de gritar insultos raciais em sua direção.

A Federação Russa de Futebol não tomou nenhuma ação contra o Spartak, e declarou falta de provas.

Hulk fez críticas à organização do futebol russo e disse que é vítima de comentários racistas em quase todo jogo disputado na Rússia e ele teme que o racismo pode  prejudicar a Copa do Mundo em 2018 no país.

Fonte: IG

Nenhum comentário:

Postar um comentário