sexta-feira, 7 de abril de 2017

Senador José Agripino lembra que partidos sempre receberam doações oficias de empresas como permitia a lei

O senador José Agripino (DEM) não para de questionar: como maior adversário dos governos Lula (PT) e Dilma (PT), o que danado poderia fazer para empresas em nome do governo?

É essa a defesa maior de Agripino que diz que, como permitia a legislação, o DEM e os demais partidos, sempre receberam doações de empresas.

E lembra que a Queiroz Galvão, por exemplo, faz doações ao DEM e extinto PFL desde as campanhas de 2004, 2006, em volume de recursos maior do que os apontados agora pelo ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado.

“E o que eu, como principal adversário do governo, podia fazer em troca de doações? Nada”, justifica o senador, que recebeu como doação oficial através da Tranpetro, o valor de 300 mil reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário